sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Poesia


Gastei uma hora pensando em um verso

que a pena não quer escrever.

No entanto ele está cá dentro

inquieto, vivo.

Ele está cá dentro

e não quer sair.

Mas a poesia deste momento

inunda minha vida inteira

(Carlos Drummond de Andrade)

11 comentários:

Quase Trinta disse...

Linda a poesia, bom saber q até Carlos Drummond de Andrade as vezes tinha bloqueios.
ótimo final de semana

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Drummond era assim, um homem bom, simples, amigo e vai ficar, enquanto isso...Bjs

Fabrícia ♥ disse...

aaaaaaaaah , Carlos drummond era o 'cara' mermão;)
não tem parêa .
:*

blog ta de Luxoo . haaha ;*

JADY*ALVES disse...

Ah Drummond!

Até na falta de inspiração ele se inspirava.Eterno poeta!
Amo muito tudo isso!
Abraços e carinhos

Mustafa Şenalp disse...

çok güzel site. :)

Gerlane disse...

Drummond é o meu preferido, desde a adolescência. Singular!

Um abraço!

Max disse...

Todos devemos dizer sim!
Drummond é o nosso Poeta Maior.

O Trovador disse...

Sheylinha, que batom é esse? Seu papai é muito durão, vamos chamá-lo pra comentar? He, he, he.
A turma iria gostar do Seu Bartlomeu?

Adriano disse...

Tá precisando de alguma coisa, minha doce menina?
Te amamos muito!

vimaguin disse...

...por que será que tudo de Drummont é muito bom, não é?...delícia navegar pela madrugada e encontrá-lo em prosa e verso...bjusss

MADRUGADA... disse...

Que belo poema.

Obrigado por partilhar um dos meus poetas de eleição.

Cumprimentos.