sexta-feira, 25 de julho de 2008

"Bolero de Ravel" (Drummond)


A alma cativa e obcecada

enrola-se infinitamente numa espiral de desejo

e melancolia.

Infinita, infinitamente...

9 comentários:

Dois Rios disse...

Um bolero de infinita paixão.
Lindo!

Beijo,

JADY*ALVES disse...

Coisa mais linda juntos dois grandes Seres Iluminados!A suavidade e ternura numa junção perfeita.Parabéns e abraços ternos.

Paradoxos disse...

profundo!!

Dois Rios disse...

Voltei pra lhe agradecer a carinhosa visita.

Muitos beijos,

quinquilharias disse...

Que boa escolha: Drummond.

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Perdida nas espirais do amor?

Soraia Barbosa disse...

Olá!
Acabei chegando aqui em seu blog meio que por acaso, no entanto adorei ter chegado até aqui... eu adoro poesias e blogs assim como o seu, transmite paz!

Abraços

AugustoMaio disse...

Muito lindo. Como é próprio da melancolia e do infinito.

JADY*ALVES disse...

Oi Meu anjo! Hoje eu vim te trazer um carinho!
Como eu amo seu blog gostaria que você o aceitasse...

vim aqui trazer um presente, o "PRÊMIO DARDOS"; recebi do amigo querido "BEATIFUL STRANGER"; ficaria feliz se aceitasse; deixei no meu blog para que pegues; e quanto as regras de quem me deu e repassar, estou fazendo informalmente, fica a seu critério ok...?

http://jadyalves.blogspot.com

Deixo um beijo e meu abraço terno!