terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Semente maldita


em mim germina - a tua semente maldita - mais que depressa - quero arrancá-la - pela raiz - desisto depressa...

6 comentários:

O Trovador disse...

Tua poesia é forte e estranha como erva daninha.
Moça de talento!

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Puxa, menina, agora foi forte essa!
Você é uma bela promessa...beijinhos!!!

Adriano disse...

Essa sensibilidade é tocante.

Gosto do teu gosto!

Daniel Costa disse...

Sim - Eu - Digo

Olha-se a ilustração, depois atenta-se no texto, questina-se? Porquê a festa e o contraditório?
Daniel

O Profeta disse...

Construí um abrigo no deserto da emoção
Os vales são as ruas de um Deus
Fecha-se a alegria da terra
Um último olhar de amor, solto dos olhos teus

Na noite tudo se perde
Mora a sombra, o desvario
A indomável vontade do amor
Tem a força de um Rio


Bom domingo


Mágico beijo

Sinfonia Imortal disse...

Um carnaval de amores, linda rosa!